VÁLVULAS PARA AEROSOL “TENDÊNCIAS”

É hora de evoluir

Atendência é um termo que hoje está na boca de todos, em qualquer indústria, setor ou tema, já que é a direção ou rumo de algo. Por isso, publicamos um assunto que todo o nosso setor deve conhecer: as tendências em válvulas de aerossol, que várias empresas implementaram na fabricação de seus aerossóis. Foi desenvolvido tecnicamente o conceito de sistema BOV (Bag-on-Valve, ou bolsa em válvula).

Neste artigo, incluímos as de nições, processos, vantagens e desvantagens destas válvulas e alguns regulamentos que a FDA (The Food and Drug Administration) e a REACH recomendaram com relação ao uso de alguns compostos químicos que são considerados prejudiciais à saúde.

  1. Tendências para a redução de rastro de carbono

1.1 BOV

1.1.1 Processo de enchimento

1.1.2. Principais aplicações

1.1.3 Vantagens

1.1.4 Desvantagens

  1. Regulamentos com impacto na saúde

2.1 FDA & REACH

2.1.1 ftalatos

2.1.2 BPA

2.2 Cr Vi

1.- TENDÊNCIAS PARA A REDUÇÃO DE RASTRO DE CARBONO

  1. BOV (Bag-on-valve)
  • O sistema Bag-on-valve é uma embalagem do tipo barreira.
  • Ele consiste em uma válvula de aerossol com uma bolsa anexada.
  • A principal mudança dos componentes está no corpo especial para aderir a bolsa.

1.1.1 Processo de enchimento

1.1.2 Principais usos do BOV

Mercado:

  • Cuidados pessoais
  • Produtos farmacêuticos
  • Líquidos

Produtos
:

  • Alimentos
  • Cremes
  • Gel

1.1.3 Vantagens

Para o fabricante

  • Diminui a concentração de conservantes
  • Não há contaminação no ativo
  • Enchimento de produtos de alta viscosidade
  • O propelente e o produto nunca estão em contato
  • Uso de gases comprimidos
  • Enchimento e caz
  • Tubos e atuadores padrão
  • Aumenta a vida útil

 

Para o consumidor final

  • O produto pode ser utilizado a 360°
  • Mesmos benefícios de um sistema aerossol tradicional
  • Padrão de pulverizador
  • Uniformidade de tamanho de partícula
  • Drenagem do produto (95%)
  • Não in amável
  • Higiênico, por não misturar o produto com o propelente

 

1.1.4 Desvantagens

Para o fabricante

  • Infraestrutura (enchimento com gases comprimidos)
  • Equipamento (produção com máquinas especiais)
  • Custo da válvula

 

Para o consumidor final

  • Preço nal do produto na prateleira (é mais caro do que o tradicional)

 

2.- REULAMENTOS COM IMPACTO NA SAÚDE

Existem compostos químicos que interferem com o sistema endócrino, por agirem como desreguladores endocrinológicos; isso signi ca que geram uma interrupção em alguns processos siológicos controlados por hormônios. Estudos indicam que o consumo dessas substâncias pode causar: tumores, teratogênese (danos ao embrião durante a gravidez), distúrbios no desenvolvimento, entre outros.

 

Alguns exemplos dessas substâncias, que atualmente são reguladas por diferentes órgãos que administram substâncias químicas e utilizadas em produtos para consumo humano direto e indireto, são:

  • Pesticidas (DDT)
  • PCB ́s (bifenilas policromados)
  • BPA (Bisfenol A)
  • PBDE (éteres de polibromodifenila)
  • Ftalatos
  • Alquilfenóis

 

2.1 FDA

The Food and Drug Administration (FDA), nos Estados Unidos, e a REACH, na União Europeia, regulamentaram dois compostos principais:

 

2.1.1 Ftalatos

Esses compostos são derivados do ácido ftálico, e um de seus principais usos é como aditivo no processo de fabricação de vários plásticos. Esse composto é usado porque, quando incorporado a alguns polímeros de cadeia longa, como o PVC (policloreto de vinila), permite que as cadeias deslizem e aumentem a exibilidade do polímero nal. Uso regulamentado desde 2002. Os ftalatos são também usados com frequência em esmaltes de unha, alguns adesivos, brinquedos para crianças, etc.

A REACH e a FDA regulamentaram o uso dessas substâncias em produtos destinados ao consumo humano direto ou indireto desde 2002, começando por brinquedos para crianças e produtos que estiveram em contato com alimentos. Durante o ano de 2012, a indústria de aerossóis, especialmente as empresas fabricantes de válvulas, procederam, junto a seus fornecedores, à substituição dos componentes (arruelas internas e externas) que continham ftalatos por componentes livres dessa substância.

 

2.1.2 BPA – Bisfenol A

O bisfenol A é um composto orgânico com duas moléculas de fenol em sua estrutura. É usado principalmente como monômero de alguns plásticos e aditivos. Regulamento iniciado em 2013.

Durante a década de 30, começou a ser enfatizado o risco atribuído ao uso de bisfenol A em produtos de consumo. Em 2010, a FDA divulgou um estudo no qual seu interesse principal era gerar conscientização na população para evitar a exposição de mulheres grávidas, bebês e crianças a produtos contendo essa substância.

Em 2016, a REACH inseriu esse produto químico em sua lista de substâncias “potencialmente nocivas”, e esse, inclusive, é um tema que vem sendo discutido na União Europeia nos últimos anos. Talvez, neste momento, todos nos perguntemos – de que forma isso pode afetar a indústria de aerossóis? – A realidade é que os revestimentos comumente mais utilizados na indústria do aerossol são os epoxifenólicos. Os compostos epoxifenólicos contêm BPA, que contribui para sua aderência a superfícies metálicas.

Tendo em vista tudo o que foi mencionado anteriormente, as indústrias de válvulas, tubos e fornecedores de matéria-prima assumiram a tarefa de desenvolver novas substâncias que substituam os revestimentos epoxifenólicos sem reduzir a resistência dos materiais metálicos no sistema de aerossol.

Atualmente se trabalha em revestimentos denominados BPAni, cuja sigla em inglês, “ni” ou “not intended”, não intencional, signi ca que eliminam ou reduzem o uso dessa substância para níveis que não são considerados prejudiciais aos seres humanos.

 

2.2 Cr VI

O cromo hexavalente é usado principalmente como anticorrosivo e para a fabricação de pigmentos, acabamentos de metais e cromados. Usado na produção de aço inoxidável, entre outros usos. Esse composto vem sendo associado como produto carcinogênico, mutagênico e tóxico durante a reprodução de alguns seres vivos.

Este material, ainda que não contido diretamente em nenhum dos componentes utilizados em sistema aerossol, é utilizado como composto durante o processo de pré-tratamento a que são submetidos todos os metais conhecidos como passivados.

A União Europeia está consciente dos riscos a que estão expostos os trabalhadores de indústrias que trabalham com esses metais e, portanto, decidiu, em 2016, incluir este composto em sua lista de produtos químicos potencialmente nocivos à saúde. isso leva todos os fornecedores desses materiais a trabalharem em novos processos para prevenir a corrosão e não utilizarem esse composto.

 Concluindo, a indústria de aerossóis está em busca de tecnologias mais verdes e menos nocivas ao meio ambiente, mas segue estritamente as regulamentações globais em matéria de saúde.

“Embora o vejamos como algo distante, para alcançar o bem comum, basta dar o primeiro passo”.

Por: Lilia González de Válvulas de Precisión México

También podría gustarte Más del autor

Comentarios

Loading...