Manipulação  do propulsor no gaseificado de aerossóis

0

É importante conhecer os materiais com os quais se trabalham ao produzir aerossóis e saber seus fatores de risco, como trabalhar com eles e saber como acidentes podem ser evitados.

Nesse artigo técnico publicamos o Manipulação  do Propulsor no Gaseificado de Aerossóis, tema ministrado por Enrique Núñez no passado Seminário Técnico de Aerossóis do IMAAC. Aqui veremos por que eles devem cumprir as normas de segurança, o conhecimento do propulsor e as generalidades disso, assim como seus fatores de risco.

 

ÍNDICE

1. Regulação

2. Normas

3. Conhecimento do Material

4. Generalidades do Produto

5. Condições de risco

     5.1 Expansão

     5.2 Decomposição

     5.3 Inflamabilidade

6. Gaseificado 

7. Recomendações

 

. REGULAÇÃO

As normas oficiais mexicanas são de cumprimento obrigatório, estas estão baseadas em diretrizes internacionais e basicamente nos guiam para que tenhamos um  ambiente de trabalho seguro, para que transportemos de maneira segura, mas o mais importante é que são de caráter obrigatório.

2. NORMAS

Estas são as principais normas obrigatórias das quais temos que ter conhecimento:

3.  CONHECIMENTO DO MATERIAL

A melhor maneira de conhecer os materiais é pela folha de segurança e tem que estar disponível fisicamente na área de trabalho por se acontece algum incidente, possa se revisar imediatamente e ver os passos que se devem seguir.

4. GENERALIDADES DO PRODUTO

Nos ajuda a saber a descrição do produto, informação de transporte e identificação do produto.

CAS – Chemical Abstracts Service

Este número é específico para cada substância química pura do mundo

UN – United Nations

É o número de transporte que confere as Nações Unidas a cada substância, seja misturada ou substância pura, sempre e quando  seja perigosa para o transporte

Aparentemente esses produtos são muito similares, são gases liquefeitos, são  inflamáveis, porém, existem diferenças: um é inodoro e o outro tem um odor similar ao éter, o UN e número CAS são diferentes e podem ser mais conhecidos por meio da folha de segurança.

5. CONDIÇÕES DE RISCO

5.1 Expansão

Produto sob pressão.

Temperatura é um fator crítico

Os gases tendem a se tornar muito sensíveis aos aumentos de temperatura e no momento de estar liquefeitos, essa sensibilidade aumenta consideravelmente

O gráfico a seguir mostra como a temperatura aumenta consideravelmente, de 70°F a 130°F, à medida que aumenta consideravelmente a pressão.

Essa sensibilidade à temperatura nos leva a ter um cuidado especial no recipiente e no ambiente em que esses gases são manipulados

Temos que verificar que no recipiente sejam cumpridas as normas estabelecidas internacionalmente aprovadas por especialistas. Nesse caso seriam normas DOT (US Department of Transportation) e essas normas vão nos garantir que a lata ou embalagem que usamos contarão com os  dispositivos de segurança, as provas, os limites de pressão que podem ser alcançados, aqueles que podem ativar um dispositivo, mesmo aqueles que podem explodir.

Um gás no momento da liberação, se o tivermos liquefeito, 1 litro de gás pode ocupar até 200 litros Isso é muito importante porque podemos estar falando de materiais inflamáveis, como é o caso da maioria dos propulsores, que podem gerar atmosferas explosivas ou até mesmo compostos tóxicos que podem causar danos aos seres humanos.

5.2 Decomposição

Altas temperaturas e/ou incompatibilidade.

Produtos altamente irritantes.

Os produtos químicos são o resultado de uma reação química, no momento em que eles se decompõem, podemos alcançar os produtos com elementos reativos ou outros compostos químicos que podem ser muito agressivos para o corpo humano.

É preciso ter cuidado com a incompatibilidade, isso significa que se você for armazenar propulsores, gases ou qualquer produto químico, é importante saber com base na folha de segurança, com qual não pode ser unida ou misturada para evitar essa decomposição; Assim, com as altas temperaturas e, obviamente, o fogo direto.

São gases nocivos, especialmente o monóxido de carbono que chega a afetar o sangue e é muito difícil de desintoxicar.

5.3 Inflamabilidade

Vapores podem formar misturas  explosivas com o ar (limites de inflamabilidade).

Fique longe do calor e fontes de ignição.

Este é o triângulo de inflamabilidade onde é preciso ter o ar, as fontes de ignição e o combustível em perfeito equilíbrio para ter um cenário de risco de explosão ou de inflamabilidade.

É importante estar consciente dos limites inferiores e superiores de inflamabilidade de cada propulsor inflamável que manipulamos.

6. GASEIFICADO

O gaseificado é a injeção do propulsor.A parte positiva é que é a parte central do aerossol porque adquire propriedades:

É  muito importante conhecer quanto propulsor pode ser liberado ou quanto pode manipular para saber em quanto tempo pode se alcançar um cenário de risco. São fórmulas muito simples:

7. RECOMENDAÇÕES

• Ventilação Adequada

• Conexão adequada a terra ( linhas e maquinária)

• A área de enchimento deve ser classificada

  como “anti  faíscas” (Classe I, Classe D, Divisão I)

• Contar comum sistema contra incêndios

• Uso de roupas e calçados com propriedades

  antiestáticas

• Detectores de propulsores corretamente

  calibrados

 

Comentarios
Loading...