melanie loves outdoor sex.xxx tube huge dick on webcam.
asianporn
porn tube jeremy serrano fucking kellie cechan.

Recomendações FLADA (Parte 2)—Válvulas para aerossóis.

0

Essas recomendações têm uma importância crucial para a nossa indústria.

[separator type=»line» /]

Nós apresentamos Parte 2 das Recomendações FLADA, um documento de importância crucial que busca a integração da indústria de aerossol na América Latina através da tecnologia e qualidade dos produtos fabricados na região.

Este documento foi elaborado com base na experiência e na indústria de vários países representados pelos membros do comitê, que, por sua vez representam os organismos que compõem a Federação Latino-Americana de Aerossóis (FLADA): a Cámara Argentina del Aerosol (CADEA), o Instituto Mexicano del Aerosol (IMAAC), a Associação Brasileira de Aerossóis e Saneantes (ABAS), a Cámara Chilena del Aerosol (CCA) e a Cámara Venezolana del Aerosol (CAVEA).

Continuamos a publicar de maneira alternada e em partes, as Recomendações FLADA , para completar o documento total.

ÍNDICE

  1. Objeto e campo de aplicação
  2. Documentos normativos para consulta
  3. Definições
  4. Ensaios
  5. Anexo b (informativo) integrantes do órgão de estudo

[separator type=»line» /]

Aerossóis Válvulas

  1. Objeto e campo de aplicação
    Esta norma estabelece os métodos de ensaio para as válvulas de embalagens metálicas dos aerossóis.
  2. Documentos normativos para consulta
    Qualquer documento normativo que for mencionado a seguir é indispensável para a aplicação deste documento.Quando os documentos normativos forem mencionados na listagem, nos quais o ano de publicação for indicado, isto significa que deve ser aplicado tal edição, caso contrário, deve-se aplicar a edição vigente, incluindo todas suas modificações.
    – Norma FLADA 01 – Glossário Aerossóis. Definições
    – CSPA Aerosol Guide (8th edición- 1995)
    Aerosol Propellants (3ra. edición 2010)
    – FEA Standard (FEA setembro 1993)
    – Norma ABNT 15335
    – Norma IRAM «Determinação do diâmetro e altura de cravação»
  3. Definições
    Para os efeitos desta Norma, são aplicadas as seguintes definições:

    1. Propelente: gás (liquefeito, dissolvido ou comprimido) com a função de expelir o conteúdo da embalagem através do acionamento da válvula (Figura 1).
    2. Altura de Cravação (Hc): Distância vertical da zona superior do tope do rolo da cápsula crimpada até o centro da marca produzida pelos gomos da braçadeira do crimper.
    3. Concentrado: Produtos ou substâncias que formam parte da formulação do aerossol.
    4. Diâmetro de cravação (Dc): Distância máxima horizontal a partir do centro da marca produzida pelos gomos da braçadeira do crimper de um lado até a marca diametralmente oposta.
    5. Marca: Deformação da cápsula, causada pela ação das braçadeiras do cabeçote de cravação.Recomendaciones-FLADA-(Parte-2)-1
    6. . Aumento longitudinal do tubo de pesca pelo contato com o produto acondicionado.
      Nota: Sabe-se que as distintas formulações de produtos em aerossol causam diferentes elongações no tubo de pesca de uma válvula para aerossol, devido aos diferentes solventes, propelentes e produtos químicos que as compõem. Estas dilatações devem ser consideradas quando se determina a longitude do conjunto de válvula-tubo de pesca.
    7. Laminado: Filme plástico que recobre a parte superior e/ou inferior da cápsula em sua totalidade.
    8. Sistema de lacre (taper seal) (1): Sistema de lacre da válvula, para a embalagem, baseado na deformação elástica do material da cápsula.
      (1) Taper Seal é o nome comercial de um sistema de obturação patenteada Aptar Group. Esta informação é fornecida para facilitar aos usuários a utilização desta Norma, mas não significa uma recomendação do produto citado por parte de FLADA. Podem ser utilizados produtos equivalentes, desde que conduzam aos mesmos resultados.
    9. Sleeve-gasket (2): Sistema de lacre da válvula, na embalagem, baseado na utilização de uma guarnição plástica.
      (2) Sleeve Gasket é o nome comercial de um sistema de lacre patenteado por Precisión Valve Corporation. Esta informação é fornecida para favorecer aos usuários na utilização desta Norma, mas não significa uma recomendação do produto citado pela FLADA. Podem ser utilizados produtos equivalentes que conduzam a resultados iguais.
  4. Os conceitos não mencionados na presente norma estão definidos na Norma FLADA 01 – Glossário de Aerossóis.
    Recomendacoes-FLADA-(Parte-2)-1
    Figura 1. Partes que compõem o sistema aerossol

  5. Ensaios
    1. Determinação das dimensões das cápsulas.
      1. Princípio: Consiste em determinar as dimensões das cápsulas utilizadas nas válvulas de aerossol para embalagens com abertura de 25,4mm.
      2. Equipamentos de medição e materiais:
        1. Utilizar instrumento ou dispositivo com precisão 0,02mm.
      3. Procedimento: Medir as dimensões estabelecidas na figura 2, utilizando os equipamentos de medição descritos em 4.1.2.1 e materiais. O resultado deve estar de acordo com a tabela 1.

        Recomendaciones-FLADA-(Parte-2)-Figura-2Figura 2. Cápsulas e suas configurações de rolo/pollera

        Sendo:
        D: Diâmetro externo da cápsula, em milímetros.
        Ev: Espessura do material utilizado para produzir a cápsula, milímetros.
        h: Altura do rolo/pollera da cápsula.
        d: Diâmetro do corpo da cápsula que entra na boca da embalagem metálica, em milímetros.
        POR-Recomendacoes-FLADA-(Parte-2)-Tabla-1

    2. Determinação e medição da cravação
      1. Fica estabelecido o método para a determinação da altura e diâmetro da cravação, em aerossóis com embalagens de latão e alumínio, com boca de 25,4mm.
      2. Descreve também um método para efetuar a estimativa da altura de cravação com um diâmetro prefixado de 27,10mm ± 0,1 mm, utilizando válvulas de 25,4mm de diâmetro.
      3. Equipamentos e instrumentos
        1. Instrumento para medir altura de cravação, com uma precisão de 0,01mm, dotado de um padrão, conforme o indicado na figura 1.
        2. Instrumento para medir diâmetro de cravação, com uma precisão de 0,01mm, dotado de um padrão, conforme o indicado na figura 2.

      POR-Recomendacoes-FLADA-(Parte-2)-Figura-1.2
      Figura 1. Exemplo de um instrumento para medir a altura de cravação.

      POR-Recomendacoes-FLADA-(Parte-2)-Figura-2.2

      Figura 2. Exemplo de um instrumento para medir o diâmetro de cravação.

      1. Procedimento:
        1. Procedimento de medição da altura de cravação.
          1. Calibram-se instrumentos de medição mediante o padrão e ajusta-se até verificar que o valor do dial coincida com o valor indicado no padrão.
          2. Quando for necessário, deve ser retirada a tampa disparadora ou botão da válvula da embalagem para efetuar a medição.
          3. Coloca-se a esfera de contato no centro da marca produzida pelas braçadeiras de cravação, apoiando a base do instrumento na parte superior da cápsula.
            Nota: O instrumento deve ter como mínimo três pontos de apoio sobre a cápsula (Ver figura 1).
          4. Efetua-se, em primeiro lugar, a leitura a 0.01mm e depois o registro.
          5. Repete-se o procedimento de acordo com o 4.1.3 e 4.1.4 em cada uma das marcas.
        2. Procedimento de medição do diâmetro de cravação.
          1. Calibra-se o instrumento de medição colocando 2 palpadores no padrão e ajustando até verificar que o valor do dial coincida com o valor indicado no padrão.
          2. Quando for necessário, deve ser retirada a tampa atuadora ou botão para efetuar a medição.
          3. Colocar os palpadores no centro de duas marcas opostas e mover o instrumento até encontrar a medida máxima.
          4. Determinar a leitura a 0.01mm e efetuar o registro.
          5. Repetir o procedimento, de acordo com o 5.2.3 e 5.2.4 para cada par de marcas opostas.

      A altura de cravação é uma medida utilizada para ajustar o cabeçote de cravação e, portanto, uma medida indispensável, mas não o suficiente para garantir o fechamento hermético da embalagem. O controle desta medida durante a produção dos aerossóis ajuda a garantir a uniformidade e qualidade da cravação.

    3. Procedimento para calcular a altura de cravação.Este anexo estabelece o seguinte procedimento para calcular a altura de cravação para um diâmetro de cravação prefixado de 27,10mm ± 0,1 mm.
      1. Aparelhos
        Comparador Boxal II, como se mostra na figura A1, utilizado para medir a altura de contato HB.
      2. Procedimento
        Altura de contato do rolo da embalagem (HB): Determina-se utilizando o comparador Boxal
        II como pode ser visto na figura A2. A leitura mínima correspondente à embalagem é efetuada posicionando o comparador Boxal II (ver A.2.1) sobre o rolo, e depois girando a embalagem em 360°. Efetua-se a média das leituras mínimas encontradas em cada rolo de embalagem, tomando como amostra uma quantidade mínima de 10 embalagens.
        POR-Recomendacoes-FLADA-(Parte-2)-IMG2Figura A1. Comparador Boxal IIRecomendaciones-FLADA-(Parte-2)-IMG3
        Figura A2. Detalhe da figura 1 onde é visualizado o rolo da embalagem e o cabeçote do.

        A.3.2. Espessura do material da cápsula da válvula (Ev). De acordo com o material da cápsula são adotados os seguintes valores de referência.

        POR-Recomendacoes-FLADA-(Parte-2)-tabla2

        A.3.3. Fator de compressão do elemento de lacre da cápsula (f). De acordo com o elemento lacrado são adotados os seguintes valores.

        Para obter estes valores de compressão o cabeçote de cravação deve exercer uma força sobre a válvula em direção axial à embalagem, na ordem de 30 daN a 50 daN, cujas braçadeiras devem ter um raio de 1,20mm. Também deve ser considerado o raio c da figura anexa, cujo valor deve ser no máximo de 0,5mm.

        Recomendaciones-FLADA-(Parte-2)-7

        POR-Recomendacoes-FLADA-(Parte-2)-tabla3

        A.3.4 Espessura do elemento de lacre da cápsula (EA). São adotados os seguintes valores de referência.

        POR-Recomendacoes-FLADA-(Parte-2)-tabla4

        Nota: quando se utiliza cápsula com laminado, a qual se adiciona uma arruela de borracha, o valor de EA é o seguinte:
        EA (em mm) = 1 (espessura de arruela) + 0,1 / 0,2 (espessura laminado 0,1 ou 0,2 mm)
        Nestas situações o fator de compressão que é utilizado é o da arruela.

        A.4 Cálculo. A altura de cravação é calculada com a seguinte fórmula:
        Recomendaciones-FLADA-(Parte-2)-6

        Sendo (ver figura A3):
        HC – altura de cravação, em milímetros;
        HB – altura de contato do rolo da embalagem, em milímetros;
        Ev – espessura do material da cápsula da válvula, em milímetros;
        f – fator de compressão do elemento de lacre da cápsula;
        EA – espessura do elemento de lacre da cápsula, em milímetros.

        Recomendaciones-FLADA-(Parte-2)-5

    4. Procedimento para determinar a elongação do tubo de pesca O objetivo deste ensaio é determinar a elongação longitudinal produzida no tubo de pesca, devido ao contato com os produtos utilizados nos aerossóis.
      1. Procedimento:
        São utilizados dez pedaços de tubo de pesca, cortados em 100mm de longitude e colocados soltos numa embalagem de aerossol, na qual foi adicionado previamente o concentrado a ser utilizado.

        Crimpar a válvula e pressurizar o aerossol com o propelente a ser utilizado. Após 48 o aerossol é despressurizado, utilizando um elemento pontiagudo de material anti-ferrugem (Ex.: bronze).
        Abrir o aerossol retirando os tubos de pesca e medir com uma régua (milímetro). A porcentagem de elongação será determinada pela quantidade de milímetros que superem os 100 originais, isto é:
        % de elongação = valor médio medido – 100.

        Para determinar a longitude do tubo, segundo o C.S.P.A., necessitamos conhecer os seguintes dados:
        He: altura total da embalagem %E : % de elongação (calculado no ponto anterior)

        Longitude C.S.P.A = He -He. %E – C

        C= 2 mm (espaço livre entre tubo de pesca e fundo)
        Recomendaciones-FLADA-(Parte-2)-4
        L= longitude C.S.P.A, também denominada longitude AD

    5. Procedimento para medir a longitude do conjunto válvula-tubo de pesca
      1. Objetivo: Consiste em determinar a longitude do conjunto válvula-tubo de pesca em embalagens de aerossol e deve ser feito para cada produto em aerossol e repetido em caso de que seja notificada a formulação do produto original.
      2. Equipamentos de medição e materiais: dispositivo para medir a longitude que contém uma escala métrica montada no respectivo dispositivo, tomando como referência a parte superior da cápsula da válvula até a extremidade do tubo de pesca.
      3. Procedimento
        1. Colocar a válvula sobre o dispositivo, assegurando-se que a parte superior da cápsula esteja posicionada na fenda e apoiada sobre a parede perpendicular à escala métrica, verificando que o tubo de pesca se posicione no canal central.
          Recomendaciones-FLADA-(Parte-2)-DIM
          Exemplo de dispositivo para medir a longitude do tubo de pesca. Dimensoes em milímetros.
        2. Medir a longitude do conjunto válvula-tubo de pesca (L) na escala métrica.
      4. Existem outras formas de medir a longitude do conjunto válvula-tubo de pesca.
        1. Método FSMS (from sealing médium surface): implica tomar a base do elemento de lacre como referência para medir a longitude do tubo de pesca.
        2. Método FBOC (from bottom of cup): consiste em tomar como referência a base da cápsula para poder medir a longitude do tubo de pesca.

Recomendaciones-FLADA-(Parte-2)-Figura
Ver figura anexa

Anexo B (Informativo)
Integrantes do órgão de estudo
O estudo desta norma ficou sob responsabilidade do respectivo órgão, composto da seguinte forma:

  • Comissão Técnica de CADEA
  • Comissão Técnica de ABNT
  • Comissão Técnica de IMAAC
  • Câmara Venezuelana de Aerossóis
  • Associação Chilena de Aerossóis
Comentarios
Loading...